Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Brasileiros na Seleção Italiana: Rafael Tolói amplia a lista

Os brasileiros na Seleção Italiana de futebol foram muitos ao longo dos anos. Convocado essa semana, Rafael Tolói é mais um da lista.

Ex-jogador do São Paulo, o zagueiro joga na Atalanta e disputará as eliminatórias da Copa do Mundo. Tolói é neto de um imigrante de Treviso e, por isso, tem cidadania italiana e o direito de defender a Azurra.

A lista de brasileiros que jogaram pela Itália é longa e começa na Copa do Mundo de 1934. O ponta-direita Amphilóquio Guarisi Marques, conhecido no Brasil como Filó, foi o primeiro brasileiro a conquistar uma Copa do Mundo. Foi campeão com a Itália na segunda edição do torneio.

Em 1934, Filó jogava na Lazio. Filho de mãe italiana, era conhecido na Itália como Guarisi.

José João Altafini, o Mazzola, foi campeão do mundo com o Brasil em 1958. Na Copa seguinte, em 1962, defendeu a Seleção Italiana.

Já o atacante Angelo Sormani chegou a jogar com Pelé no Santos, na década de 1950. No entanto, após se transferir para o futebol italiano, defendeu a Itália na Copa de 1962, ao lado de Mazzola.

Outros brasileiros na Seleção Italiana:

Thiago Motta – O volante chegou a jogar pela Seleção Brasileira, em 2003. No entanto, se naturalizou italiano e defendeu a Azurra nas Eurocopas de 2012 e 2016 e na Copa do Mundo de 2014;

Éder – Atacante recém-contratado pelo São Paulo, o ítalo-brasileiro nasceu em Santa Catarina e iniciou a carreira no Criciúma. Com boas passagens por Sampdoria e Inter de Milão, foi convocado para a Seleção Italiana. Com a Azurra, disputou a Eurocopa de 2016;

Jorginho – O meio-campista jogava no Chelsea em 2018, quando foi convocado pela Seleção Italiana. Morou desde os 15 anos na Itália e passou por Verona e Nápoli. Adquiriu a cidadania italiana através de um trisavô;

Emerson Palmieri – O lateral-esquerdo adquiriu a cidadania italiana em 2017. Foi convocado no ano seguinte para a Seleção Italiana, aos 24 anos. Também em 2018 deixou a Roma e foi contratado pelo Chelsea;

Rômulo – Outro brasileiro com cidadania italiana, o meio-campista Rômulo, ex-Cruzeiro, jogou na Lázio, Juventus e Inter de Milão. Por pouco não disputou a Copa de 2014 no Brasil. Foi cortado da Azurra às vésperas do torneio;

Amauri – O ex-atacante Amauri começou no Santa Catarina e se transferiu para o Nápoli no ano 2000. Sem ascendência italiana, conseguiu a naturalização pela esposa, Cynthia, que havia cumprido o tempo mínimo de residência na Itália. Recebeu a cidadania em 2010, quando foi convocado pela primeira vez para atuar pela Azzurra.

A cidadania italiana abre portas. Veja as 10 vantagens da cidadania italiana

Faça a sua cidadania italiana com a Bendita Cidadania. Fale hoje mesmo com a nossa equipe.






    Share on twitter
    Share on facebook
    Share on linkedin
    Share on whatsapp
    Share on telegram