Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Hino italiano conta história de luta pela união do país

O hino italiano simboliza histórias muito caras para seu povo. Escrito em 1946 por Goffredo Mameli, o hino foi reconhecido oficialmente apenas em 2017.

Com melodia de Michele Navarro, o Hino Nacional da República Italiana também é conhecido como Canto degli Italiani, Fratelli d’Italia ou Inno di Mameli. O canto foi muito popular na época do Risorgimento, movimento da unificação italiana.

Depois que a Itália se tornou uma república, o Canto degli Italiani foi escolhido, em 12 de outubro de 1946, como hino provisório da Itália, devido à sua popularidade. Antes disso, em 1861, o hino oficial da Itália era a Marcia Reale, que era música oficial da Casa Savoia e Hino do Reino da Itália

Nas décadas seguintes, parlamentares italianos tentaram em diversas oportunidades tornar o Hino de Mameli oficial por lei. Até que, em 4 de dezembro de 2017, mais de 70 anos depois, ele foi considerado oficialmente o hino da Itália.

Processo de unificação resultou em êxodo de italianos

O processo de unificação contado no hino italiano foi necessário devido às grandes diferenças socioculturais na Península Itálica até meados do século XIX.

Esse processo de unificação, aliás, juntamente com a chegada do desenvolvimento industrial, levou fome e desemprego a milhares de camponeses e, assim, desencadeou o êxodo de italianos para outros países, com destaque para a imigração italiana no Brasil.

Hino italiano e a história de luta por soberania

A batalha pela união do povo italiano está em trechos do hino como esse: Noi siamo da secoli Calpesti, derisi, Perché non siam popolo, Perché siam divisi. Raccolgaci un’unica Bandiera, una speme: Di fonderci insieme Già l’ora suonò”.

A tradução seria “Há séculos que somos pisados, escarnecidos, porque não somos um povo, porque somos divididos. Reunamo-nos sob uma única Bandeira, uma esperança: de nos unirmos. Já soou a hora.”

Nessa parte da letra, Mameli destaca a desunião do país, na época dividido em sete estados, o que o enfraquecia como nação e tornava a Itália alvo fácil de outros países.

A unificação da Itália terminou com o fim da Primeira Guerra Mundial e a retomada das terras de Trieste e Trento, até então sob domínio de outros países.

Letra e tradução do hino italiano

Letra em italianoTradução
Fratelli d’Italia,
l’Italia s’è desta,
Dell’elmo di Scipio
S’è cinta la testa
Dov’è la Vittoria?
Le porga la chioma,
Ché schiava di Roma
Iddio la creò(Coro)
Stringiamci a coorte
Siam pronti alla morte
Siam pronti alla morte
l’Italia chiamò
Stringiamci a coorte
Siam pronti alla morte
Siam pronti alla morte
l’Italia chiamò!
Noi fummo da secoli
Calpesti, derisi,
Perché non siam popolo,
Perché siam divisi.
Raccolgaci un’unica
Bandiera, una speme:
Di fonderci insieme
Già l’ora suonò.(Coro)Uniamoci, amiamoci,
l’unione e l’amore
Rivelano ai popoli
Le vie del Signore;
Giuriamo far libero
Il suolo natio:
Uniti, per Dio
Chi vincer ci può?(Coro)Dall’Alpi a Sicilia
Dovunque è Legnano,
Ogn’uom di Ferruccio
Ha il core, ha la mano,
I bimbi d’Italia
Si chiaman Balilla,
Il suon d’ogni squilla
I vespri suonò.(Coro)Son giunchi che piegano
Le spade vendute:
Già l’aquila d’Austria
Le penne ha perdute.
Il sangue d’Italia,
Il sangue polacco,
Bevé, col cosacco,
Ma il cor le bruciò.
Irmãos de Itália,
A Itália levantou-se
Com o elmo de Cipião
Cobriu a cabeça
Onde está a Vitória?
Que lhe sustém a cabeleira
Porque foi como escrava de Roma
Que Deus a criou.(Refrão)
Cerremos fileiras
Estejamos prontos para morrer
Estejamos prontos para morrer
A Itália chamou-nos
Cerremos fileiras
Estejamos prontos para morrer
Estejamos prontos para morrer
A Itália chamou-nos!
Há séculos que somos
Espezinhados, desprezados,
Porque não somos um povo
Porque nos dividimos
Reunamo-nos sob uma única
Bandeira: uma esperança
De nos reunirmos.
Soou a hora.(Refrão)Unimo-nos, amemo-nos,
A união e o amor
Revelam aos povos
Os caminhos do Senhor;
Juremos tornar livre
O solo natal:
Unidos por Deus
Quem pode nos vencer?(Refrão)Dos Alpes à Sicília
Por toda a parte é Legnano,
Cada homem de Ferruccio
Tem o coração, tem a mão,
As crianças da Itália
Chamam-se Balilla,
O som de cada sino
Tocou às vésperas.(Refrão)São juncos que dobram
As espadas vendidas:
A Águia da Áustria
Já as penas perdeu.
O sangue da Itália,
O sangue polonês,
Bebeu, com o o cossaco,
Mas o coração as queimou.

Ouça o hino italiano

Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram