Brexit o que muda em 2021
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Brexit: o que muda de fato em 2021

Estudantes, turistas e investidores com cidadania italiana querem saber, de fato, o que muda com o Brexit.

Em primeiro de Janeiro de 2021, o Reino Unido deixou de estar, oficialmente, na órbita da União Europeia, após uma ligação de 48 anos.

Do turismo ao visto obrigatório para quem se muda para trabalhar ou estudar: o que muda para os que tem passaporte italiano. Saiba neste artigo.

Brexit: o que muda no turismo

Cidadãos ítalo-brasileiros não precisam de visto para períodos inferiores a 90 dias.

Para entrar no Reino Unido é necessário um passaporte, não apenas uma carteira de identidade, com pelo menos seis meses de validade. 

Os acessos rápidos para cidadãos europeus deixaram de existir nos aeroportos do Reino Unido. 

É aconselhado os cidadãos que chegam ao Reino Unido a comprar apólices de seguro de viagem que incluem emergências médicas antes da partida. 

Cuidado com a bagagem: é proibido levar carne e laticínios da UE para o Reino Unido e vice-versa.

Saúde

O cartão de seguro saúde europeu – que dava direito à assistência nos estados membros da UE, Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça – não é mais válido. Mesmo se os cartões emitidos antes do Brexit continuarem a ser reconhecido até o vencimento

O governo garantiu que um programa semelhante será lançado em um futuro próximo, mas não há detalhes. 

Os cidadãos europeus que vivem no Reino Unido poderão renovar o cartão e continuar a usufruir das vantagens

Residência no exterior

A partir de 1º de Janeiro de 2021, os cidadãos europeus deixaram de ter direito automático de viver e trabalhar no Reino Unido (o mesmo para os britânicos na Europa). 

Aqueles que já vivem na Grã-Bretanha continuarão a ter os mesmos direitos até 30 de junho. Depois disso será obrigatório ter obtido a cidadania britânica ou uma autorização de residência permanente (status regularizado ou pré-estabelecido).

Sistema de imigração

Qualquer pessoa que planeja se mudar para o Reino Unido para estudar ou trabalhar, precisará obter um visto

Os cidadãos europeus e não pertencentes à UE serão tratados da mesma forma.

Para estudantes, o visto custa £ 348 se obtido antes de chegar ao Reino Unido, £ 475 para estender ou alterar um visto existente do Reino Unido. 

Para quem quer trabalhar, o visto custará entre £ 610 e £ 1408 por pessoa (exceto para alguns setores). 

Aqueles que desembarcarem no Reino Unido também terão que pagar uma ‘taxa médica’ anual de £ 624 (que não se aplica a quem se desloca para trabalhar no sistema de saúde).

Para obter o visto

A partir de 1º de Janeiro de 202, são necessários 70 pontos para obter um visto para o Reino Unido

Os pontos podem ser obtidos da seguinte forma:

  • 40 pontos para quem tem uma oferta de trabalho especializada de um empregador reconhecido;
  • 20 pontos para uma oferta de trabalho não especializada -10 pontos para quem fala inglês;
  • 20 pontos para quem ganha mais de £ 25.600 por ano;
  • 10 pontos para doutorados;
  • 20 pontos para doutorados em ciências ou tecnologia, engenharia ou matemática;
  • Alguns empregos – na área de saúde ou educação – têm direito a 20 pontos, mesmo que tenham um salário mais baixo, mas geralmente o limite mínimo é de £ 20.480 brutos por ano.

Brexit: o que muda nas universidades

O fim do programa Erasmus na Grã-Bretanha não é a única notícia para os estudantes europeus que pretendem frequentar uma universidade no Reino Unido. 

A partir de setembro de 2021, os europeus não terão mais direito ao desconto aplicado aos cidadãos britânicos, cujas taxas universitárias chegam a um máximo de 9.250 libras por ano. 

Cada curso e cada universidade terão custos diferentes, geralmente entre 30.000 e 40.000 libras por ano.

Telefonia celular

O acordo europeu sobre tarifas móveis no exterior e roaming gratuito termina na Grã-Bretanha. 

Os europeus que vão para a Grã-Bretanha e vice-versa agora estão pagando mais para fazer ligações e enviar mensagens.

Animais de estimação

O Passaporte Europeu para Animais não é mais válido na Grã-Bretanha, nem é válido para animais de estimação em trânsito do Reino Unido para a Europa. 

Um certificado de saúde deve ser obtido com o veterinário pelo menos dez dias antes da partida.

Comércio entre o Reino Unido e a UE

Parte do acordo comercial do Brexit é a ausência de direitos ou cotas de importação e exportação, mas novas declarações são necessárias nas fronteiras. 

Alguns produtos – plantas, animais e certos produtos alimentícios – precisam de certificados e licenças específicos. 

O Reino Unido não efetuará verificações durante os primeiros seis meses; em vez disso, a UE começa imediatamente com os controles.

Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram